quarta-feira, agosto 02, 2006

Alguém se surpreende?

Não vi o jogo com o Corunha, nem vi o jogo com o AEK, tal como não vira o jogo com o Sion. Mas já previa isto deste este dia. Alterações tácticas Nandinho? 4-3-3? Agora? Sem Simão e com o que por lá temos? Vais queimar o Miccoli nas alas? E para quê cinco avançados se só um jogará? Alterações precisam-se, mas na estrutura de futebol. Adeus Veiga, adeus Nandinho e restante equipa técnica. E o Rodolfo Moura também pode seguir para acabar de vez com os tachos e com as comissões provenientes de certa clínica alemã. Senhor presidente... não se esqueça que tem eleições à porta.

ps- Felizmente, está quase a começar a época de futsal. Haja algo para nos animar até ao despedimento, ou demissão, do único treinador a perder um campeonato com Jardel a marcar mais de 30 golos...

5 Comments:

Blogger Edson Arantes do Nascimento said...

Adeus Veiga, claro (e, por arrasto, de todos quantos foram por ele escolhidos) - nunca lá deveria ter entrado. Mas isso são contas antigas, que não de outro rosário.

Em relação à táctica: eu sempre gostei do 4-4-2 "à Camacho" (em que o segundo avançado foi, muitas vezes e com algum sucesso, Zahovic - não quero com isto dizer que o Rui Costa pode fazer esse lugar, o Za era um jogador com muita «chegada», sempre fez muitos golos). Já o tinha dito outras vezes. Mas o 4-3-3 também me parece bem.

O problema já tu levantaste. Quem vai jogar nas alas? Parece-me uma questão secundária, porque sendo assim, até a contratação de Katsouranis é (quase) injustificável.

É, claramente, começar do zero (!!!). Até nas contratações - quer dizer, se o Simão sair mesmo, vem, pelo menos mais um extremo. Parece-me necessário e óbvio.

P.S. Relembro que Wilhelmson, bom jogador, foi por 4 milhões de euros para o Nantes, quase o preço de Katsouranis, que também é um bom jogador, mas que joga numa posição onde o Benfica não estava carente.

quarta-feira, agosto 02, 2006 5:58:00 da tarde  
Blogger Mr. Shankly said...

"4 milhões de euros (...) quase o preço de Katsouranis"
Quase, é o dobro.
Em relação à táctica, que tal o 5-3-2 clássico? Temos centrais, laterais ofensivos, 5 avançados, um 10...temos tudo. Para o 4-3-3 não temos nada.

quinta-feira, agosto 03, 2006 2:28:00 da tarde  
Blogger Edson Arantes do Nascimento said...

Pois, só que Katsouranis (ou Fonseca) + Marcel já dão 5 milhões e meio de Euros (segundo as contas do João), ou seja, comprava-se um extremo, QUE SEMPRE PRECISÁMOS, que joga dos dois lados e joga (muito) bem.

E ainda sobrava 1 milhão e meio de Euros, que quase compra um "Fonseca" ou um médio-centro bom (nós temos lá um João Coimbra, mas o Beto é melhor...).

O Porto, de Mourinho, apesar de jogar 90 por cento das vezes em 4-4-2 losango, também alinhou várias vezes em 4-3-3, com dois avançados (Derlei, McCarthy) e um extremo, apenas (Capucho, Peixoto).

Jogar num 3-5-2 (e não 5-3-2, o Benfica não precisa de jogar com cinco defesas, como é evidente) implica uma inteligência táctica muito boa e muito treino - coisa que, de momento, não existe. Nem em tempo, nem em qualidade.

Para além de que seria uma invenção - o Benfica (e as equipas portuguesas, em geral) nunca jogou nesse esquema e sempre que o fez foi uma desgraça (Manuel José, Koeman, mais recentemente).

quinta-feira, agosto 03, 2006 5:17:00 da tarde  
Blogger Quetzal Guzman said...

Parece-me que, com este plantel, a única opção do Santos passa pelo falso 4-3-3 (desbobrável em 3-5-2) que o Camacho usou na sua chegada. mas discutir tácticas com o Santos é um bocado absurdo. O problema está mesmo na falta de competência técnica do gajo. Eu cheira-me a época à la Manel Zé... que também fez uma pre-época desastrosa. Dura quatro jornadas, o Chalana assume a transição e o novo treinador chega após as eleições. Será???

sexta-feira, agosto 04, 2006 8:32:00 da manhã  
Blogger Renato said...

como isso anda....até ja desejam o começo da epoca do mini-futebol....

segunda-feira, agosto 07, 2006 12:46:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home