terça-feira, junho 27, 2006

manifesto politicamente incorrecto



Acreditem que nao sao mais criticos do homem [do Scolari] que eu, mas acima dele está o País e quem não consegue sentir o País numa situaçao destas nao merece respeito.

Fiquei sem palavras após ler este comentário no BnR B. Isto é a hipocrisia no seu estado mais puro - o da ignorância.

Pensei até que estivéssemos a conversar sobre qualquer coisa importante para o País (aqui sim, com letra maiúscula, não naquele contexto) - a educação, a qualidade de vida, a saúde, a cultura, a nossa (quase universal) língua portuguesa, o dinheiro (muitas vezes classificado como "défice"), o desemprego, e por aí adiante.

Mas não. Estamos a falar de futebol. Como é possível colocarem as coisas nesses termos? Eu (ou outra pessoa qualquer), por não vibrar com a Selecção Nacional de Futebol, não mereço "respeito"?

Mais: o que é «ser patriota»? É beber cerveja em frente à televisão, enquanto se assa um chouriço enrolado numa bandeira portuguesa? É dizer que o árbitro Ivanov (que se meteu numa missão impossível - apitar e ajuizar bem) é um ladrão corcunda e sanguinolento? É buzinar durante duas horas pela estrada fora com a GNR a fechar os olhos? É subir ao Marquês de Pombal, qual Camões de rascunho nos dentes (e cair)? É dizer, com-todas-as-letras, que «o Deco foi mal expulso»?

Eu não sei o que é ser patriota. Agora, sei que esta febre futeboleira tem muito pouco de portuguesa, irlandesa, brasileira ou chinesa (ou não, no caso destes últimos). Sei, também, que colar uma bandeira no parapeito da marquise, de dois em dois anos, tem muito pouco de patriota - e muito, mas mesmo muito, de saloio (com todo o respeito para o pão).

E este meu sentimento é independente de vários factos: o Scolari é um grande treinador; Portugal tem uma boa equipa (para não embandeirar em arco); também vibro e também gosto de ver os jogos da Selecção, não me coibindo de criticar quando é criticável e de apontar o dedo quando considere que o devo fazer (e isto também vale para a minha verdadeira "pátria" - o Sport Lisboa e Benfica); que a FPF (para qual eu contribuo) preparou bem esta competição, ao contrário de outros exemplos recentes.

(aproveito para deixar um link para um artigo de OPINIÃO sobre este tema)

1 Comments:

Blogger Quetzal Guzman said...

99% de acordo com o teu post. No que toca ao Ivanov, embora não alinhe pela teoria do "fomos roubados" e concorde que o Deco foi muitíssimo bem expulso, e com atraso, acho que a arbitragem do russo foi miserável. Não teve critério e mostrou falta de nervo. quanto ao resto, mais uma vez, totalmente de acordo.
Muito interessante o Clube dos Jornalistas de ontem, apesar da contribuição miníma do Marinho e da sede de protagonismo, aliada à indispensável dose de vaidade, do Rui Santos. Dá gosto ler e ouvir o Miguel Gaspar.

sexta-feira, junho 30, 2006 12:41:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home