domingo, outubro 21, 2007

Girabola '07


» Carlos Mozer e o Inter atingiram um feito inédito

(Bom, o Quetzal deixou a dica e cá estou eu a honrá-la.)

O girabola '07 acabou hoje, dia 21 de Outubro. O vencedor foi, pela primeira vez e de forma inesperada, o Interclube de Luanda, treinado pelo nosso José Carlos Nepomuceno Mozer: ex-grande centralão do Benfica, como bem se recordam.

A vitória foi inteiramente justa, apesar de um início para esquecer: uma série de péssimas exibições (equipa desgarrada, mal posicionada e sem inteligência a jogar), resultaram em 5 jogos sem vencer para o Girabola e na eliminição das 'Afrotaças' e da Taça de Angola. 'Que desastre!', ia-se gritando pelas principais artérias da cidade.

Até que, quase sem nos darmos conta, o Inter começou a ganhar. Recuperou, recuperou, perseguiu os principais candidatos - que eram o Petro de Luanda (do tuga Bernardino Pedroto, grande coleccionador de títulos ao serviço do ASA - Atlético Sport Aviação e que contava com o keeper angolano João Ricardo e com o tuga Vítor Pereira, ex-Braga, Levante, Moreirense e União de Leiria; este último fez mais uma época para esquecer, diga-se) e o favorito 1º de Agosto, orientado pelo holandês Johannes Brouwer e campeão em título -, mas aproveitou o dérbi Petro - d'Agosto (4-3, hattrick do artilheiro Manucho Gonçalves para o Petro), já na recta final do campeonato e saltou para a liderança com bastante fôlego e propriedade, desalojando o d'Agosto. Acabou com 16 vitórias, 7 empates e 3 derrotas, em 26 jornadas.

Quanto a destaques individuais, e apesar de não ter visto variadas equipas em acção, posso registar alguns valores:

- O melhor jogador do campeonato foi, na minha opinião, o Manucho Gonçalves, melhor marcador da competição (15 golos em 26 jogos) e que é um ponta-de-lança alto, esguio, cabeceador e oportunista. Gosta de rematar e de se posicionar bem. É internacional e tem potencial para outras aventuras mas precisa de treinar muito (e melhor, talvez).

» Manucho Gonçalves em acção

- A grande supresa vai para Mingo, médio ofensivo dos 'polícias' (alcunha do Interclube). Não faço ideia que idade tem, mas, acreditem, é um jogador que dá prazer ver jogar. É canhoto, mexe-se bem e é bastante perspicaz. Gosta de passar bem a bola e de arriscar o drible, colocando sempre o corpo de forma a não ser desarmado. É excelente a nível técnico.

- Outras das referências deste Girabola foi Minguito, capitão do Interclube. Como jogavam num 4-3-3, o meio-campo acabou por ser um dos sectores responsáveis pelo título. E Minguito funcionava como grande organizador táctico da equipa, dando ordens, jogando com simplicidade e atenção máxima. Bom jogador (com as mesmas características também importa referir Zé Augusto, capitão do d'Agosto).

- Mais destaques: o central Joel e os laterais do Inter, mais o guarda-redes Mário e o ponta-de-lança Pedro, também dos 'polícias'; o central Loco (aquele do tupete encaracolado, que foi titular no Mundial da Alemanha, mas a lateral-direito), grande esteio do d'Agosto, juntamente com o avançado zambiano Milanzi e Mbiavanga Capela; no Petro, é de referir o regresso de Fabrice Maieco 'Akwá' à competição e pouco mais (talvez o kota lateral-esquerdo Jamba Asha, que não foi ao Mundial por controlo anti-doping positivo);

Outras curiosidades: o facto de, dos grandes clubes (Petro e d'Agosto), nenhum jogar em casa própria, dividindo os jogos pelo campo dos Coqueiros e pela Cidadela desportiva, ao contrário do Inter, que actua 'em casa', literalmente; já relativamente ao número de adeptos, os 'polícias' praticamente não os têm, sendo comum ver alguns com jerseys alheios nos jogos disputados em casa; as províncias representadas no Girabola '07 eram Zaire (Académica do Soyo, um dos despromovidos), Lunda-norte (Sagrada Esperança), Luanda (6 equipas num total de 14 - Santos F.C., Inter, Petro, d'Agosto, Benfica de Luanda e ASA), Huíla (Desportivo da Huíla e Benfica do Lubango), Namibe (Atlético do Namibe, também despromovido), Moxico (Juventude do Moxico, despromovido), Benguela (1º de Maio) e Huambo (Petro do Huambo).

Para finalizar, importa dizer que este foi um campeonato muito bem disputado (na última jornada, tanto o Inter como o d'Agosto podiam ser campeões), tendo as equipas demonstrado um nível médio em termos de qualidade, identificando-se, logo à partida, uma série de dificuldades, principalmente a nível físico e de maturidade competitiva.

É perfeitamente corriqueiro haver equipas com dificuldade em ter água para tomar banho depois do treino, por exemplo - e isto reflecte-se no desempenho final, como é óbvio.

2 Comments:

Blogger Quetzal Guzman said...

Este comentário foi removido pelo autor.

segunda-feira, outubro 22, 2007 7:26:00 da tarde  
Blogger Quetzal Guzman said...

Boa posta. Dá-nos uma ideia de como 'vive' o futebol angolano. Essa do Vitor Pereira andar por aí é deveras surpreendente. E desconhecia também o regresso do Fabrice à terra-mãe.
Aguçaste-me a curiosidade sobre esse Mingo.

segunda-feira, outubro 22, 2007 7:27:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home