terça-feira, março 07, 2006

Deixem jogar o Pedro Manuel

Eu sei que não é uma boa altura para tocar nesta ferida. Amanhã vai ser uma luta titânica - com Mantorras, sem Mantorras, com Beto, sem Beto, com Moretto ou sem Moretto. Não me interessa quem joga e até nem me interessa ganhar - se perdermos por um 2 e 1 está de muito bom tom.

O problema é que Koeman veio colocar toda a sua frontalidade em campo e disse aquilo que todos nós já havíamos percebido - Mantorras, o Pedro Manuel, não tem hipóteses neste Benfica (há quem diga que ele é "a 4ª opção"; para mim até é a 5ª - Nuno Gomes, Miccoli, Geovanni e Marcel estão claramente à frente do angolano).

Eu sei que é duro - no final do dia, até fomos "nós" que lhe arruinámos com uma carreira que prometia ser, no mínimo, interessante. Aquela rábula do joelho modificou algumas características únicas do atleta, que, devo reconhecer, foi dos jogadores que mais me impressionou "ao vivo", no estádio. Garra, muita habilidade, uma força vinda das terras quentes e vermelhas de Angola, uma velocidade estonteante - é certo que com alguma dose de individualismo e ingenuidade. Não era um jogador inteligente mas também não era isso que lhe pedíamos.

Depois de ter apanhado o 47 (já não me recordo bem, será?) para o Calvário de dois anos sem tocar na chicha, começámos a ouvir Rodolfos Mouras, Cougat's e Gaspares "da vida" dizer que «o Pedro será, necessariamente, um jogador diferente». Os sinos dobraram no segundo seguinte.

Vários pensamentos arrombaram a minha caixa-forte (há quem diga que é fraca, mas eu não posso acreditar). «Diferente? Mas diferente como? Vai deixar de explodir para cima "deles"? Vai perder força? E aquelas bombas - vão acabar?». É esperar, esperar para ver, «como o outro», pensei eu. «Errr, estes médicos pá, nem com uma dose de cavalo de morfina vão ao sítio, sempre a mesma canzana - uns alarmistas inveterados!, é o que são».

E não é que eles tinham razão, porra? O Mantorras é um jogador mais pesado, menos móvel, com menos força - passou a ser um ponta-de-lança clássico, que necessita de maior inteligência e menos fulgor. Passou a ser mais um igual a mil.

Decidiu muitos jogos, sim, e "deu-nos" um campeonato muito saboroso, claro, mas a concorrência era praticamente nula - Karadas (baaahhhh, que desilusão!), Nuninho e... era só.

Tenho para mim que ele precisa, desesperadamente, de jogar a titular, de fazer jogos atrás de jogos, de rodar. No Benfica não vai ter essa possibilidade, na Selecção queimou-se de forma incompreeensível (mesmo lá, Akwá - eh eh - e Flávio ou, até, Mateus do Gil Vicente, que não é convocado mas surpreendeu-me pela positiva - está ali um bom jogador, estão melhor).

A única solução é ser emprestado - e caso não vingue nessa etapa, parece-me que se perdeu um talento único para o futebol.

Quem perde? Ele, o Benfica... o futebol. Nós.

3 Comments:

Blogger Guitarrista said...

Verdadíssima. Concordo plenamente. O Mantorras perdeu o que tinha de especial - aquela animalidade para a bola - e não ganhou aquilo que podia dar-lhe jeito para se readaptar ao futebol de alta competição - inteligência, "esperteza"... umas lições de táctica se calhar também ajudavam.

Hoje, Mantorras é só um gajo permanentemente em fora-de-jogo. E, na maioria dos casos, nem assim consegue evitar a antecipação dos defesas. Uma tristeza... Quem o viu e quem o vê.

terça-feira, março 07, 2006 2:16:00 da tarde  
Anonymous PAPOILA SALTITANTE said...

Acho que ainda é cedo para pôr as coisas nesses termos. É certo que o Pedro ainda não se mostrou outra vez com os predicados que tinha antes da lesão, mas acho que depois de ganhar novamente confiança poderá voltar, não à forma ideal, pois já não volta a ter 19 anos, mas uma condição que lhe permita ser novamente um Ás. Se devia ser emprestado ou não? Talvez, se pudesse jogar com regularidade e numa equipa com condições para lutar por coisas boas (isto é, não descer), em Portugal ou no estrangeiro.
Apesar de tudo, acho que no plantel do Benfica o Mantorras não de certeza a última opção, o Marcel pelo menos ainda não mostrou nada e o Mantorras já jogou, deu um golo a marcar ao Mi-MI-Micolli. E mesmo sendo muitas vezes inconsequente e não conseguir jogar um jogo todo (pelo menos é o que dizem, ainda não jogou nenhum), quando entra tem o condão de enloquecer a torçida e desfazer qualquer táctica que a outra equipa tenha montada, pena que seja sempre no fim dos jogos e por vezes já não vá muito a tempo...
Acho que o Pedro ainda vai dar a volta por cima e ser um jogador de futebol feliz, até porque acho que ele é só será feliz a jogar futebol.

quarta-feira, março 08, 2006 3:50:00 da tarde  
Blogger Quetzal Guzman said...

Não concordo nada...
O Mantorras, com os poucos minutos que tem nas pernas, já nos deu 3 pontos na Liga, graças ao golo do Funchal, e 3 pontos na Champion's, graças a uma assistência primorosa para o Miccoli.
E depois, tem um valor acrescentado: é uma inspiração para os colegas, pela forma como lutou e ultrapassou a adversidade. Com ele em campo, a equipa tem mais garra e mais vontade.

quarta-feira, março 15, 2006 12:41:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home