sexta-feira, março 03, 2006

Dedo na ferida?

"BAÍA disse que a bola parecia teleguiada. Na verdade, parecia. O golo de Laurent Robert foi cruel para o guarda-redes do FC Porto mas, noutra perspectiva também foi cruel para os adeptos do Benfica. Como é que um golo marcado ao FC Porto e que valeu uma vitória pode ser cruel? Pois pode. Porque podemos imaginar todos os golos que Laurent Robert podia ter feito de livre desde que chegou ao Benfica se o deixassem marcar os mesmos livres. No jogo com o Sporting, no jogo com a União de Leiria, no jogo com o Vitória de Guimarães... O francês é um dos melhores marcadores de livres do Mundo. Quando era mais jovem era também um extremo extraordinariamente rápido. Hoje já não é tão rápido mas marcar livres é com ele. No Benfica não o deixam marcar livres. Fez um golo de livre no seu jogo de estreia, contra o Tourizense, para a Taça de Portugal e, depois disso, foi literalmente proibido de se aproximar da bola quando ela está parada. Perto do final da primeira parte, quando o árbitro João Ferreira assinalou uma falta a 40 metros da baliza de Baía, sendo a distância tão grande, quase proibitiva de sucesso, lá deixaram Laurent Robert rematar. Se era impossível de todo, então que fosse o francês a falhar, a atirar para as nuvens. E foi o que ele não fez. Ia teleguiada. Golo. Vamos lá ver quando é que deixam Robert voltar a marcar um livre..."
Leonor Pinhão, in A Bola

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home