quinta-feira, novembro 22, 2007

Um futebolista Ultra

Eis Manuel Coppola, médio centro italiano de 25 anos, a realizar a sua terceira temporada ao serviço do Génova, e antigo ultra da AS Roma, equipas que, curiosamente, se enfrentam este fim de semana em mais uma jornada da Serie A do Calcio. Em entrevista ao 'Il Romanista', abordou esta peculiaridade e os desacatos originados pela tão falada morte do adepto da Lazio numa estação de serviço.

"Tinha lugar anual na Curva Sud até ao fim da década de 90. O último ano em que tive lugar anual, era Zeman o treinador da Roma. A Curva era um espectáculo! Do ponto de vista das vitórias, aquela Roma não deu muitas alegrias..."
Acompanhavas a equipa nas deslocações?
"Quando posso ainda vou. A minha última deslocação foi em 2004/2005, quando jogava na Salernitana."
Spalletti, há poucos dias, disse que conhecia as pessoas da Curva e que se pode aprender muito com eles...
"Estou de acordo. Cresci junto dos meus amigos de Quadrado na Curva. Tínhamos um grupo que chamava-se 'I Caparbi', estávamos colocados na parte da Sud junto à bancada Montemario."
Ainda te encontras com os teus ex-companheiros da Curva?
"Encontramo-nos sempre que vou a Roma. Eles contam-me tudo o que acontece dentro do estádio. Eles vão sempre."
Alguma vez te envolveste em incidentes?
"Nas deslocações, às vezes, passavam-se algumas coisas. Mas nada de grave."
O que pensas do que aconteceu depois da morte de Gabriele Sandri?
"Desagrada-me muito. Para mim, podiam-se evitar muitas coisas."
De que modo?
"Eram três da tarde e ainda não estava esclarecido o que tinha acontecido às nove da manhã. A coisa que mais me desagradou foi a atenção da opinião pública sobre a reacção dos tiffosi. Não deram o devida atenção a quem provocou tudo isto. A verdade é que foi um policia que disparou de pernas abertas e braços esticados numa estação de serviço."
Mas a reacção dos tiffosi foi violenta...
"Existem vários modos de reagir e, seguramente, aqueles que destruíram as cidades e os estádios falharam. Mas não se pode perder de vista a causa de tudo isto. Não foram os ultras que dispararam e que não esclareceram logo o que tinha acontecido, fazendo passar uma imagem errada."
É justo proibir as deslocações?
"Seguramente que não. É um pecado jogar um Génova-Roma sem adeptos da Roma, porque, além de nós, jogadores em campo, são eles o verdadeiro espectáculo. A tiffoseria genoana é uma das melhores de Itália e o modo de tifar é muito idêntico à da Roma e do Torino- Para mim são as três tifoseria mais belas de Itália."

FONTE: http://asromafansportugal.blogspot.com/

1 Comments:

Blogger Pedro said...

Muito bom!!!

quinta-feira, novembro 22, 2007 2:31:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home